Djalma Argollo

Djalma Argollo
Terapeuta Junguiano

quarta-feira, 11 de junho de 2014

A história do rato saltador (início)

Pequena introdução 

O inconsciente é fonte de lições profundas que servem de orientação às deliberações das consciências individuais ou coletivas. O conto a seguir, saído do imaginário dos índios norte-americanos é um precioso exemplo da ação do inconsciente coletivo dos nativos americanos, que Jung teve oportunidade de estudar, quanto esteve naquele pais, a convite, para ser premiado academicamente pelas suas experiências com associações de palavras, que levou à descoberta doa "complexos de tonalidade afetiva. 
Observe-se bem que no conto os arquétipos aparecem em forma animal, e como aparece o problema da individuação, na forma de busca da "montanha mágica".
Assim como na vida, as buscas exigem esforços e sacrifícios do que normalmente é um bem considerado extremamente precisos. Neste conto encontramos afinidades com os mitos gregos, como por exemplo, o mito de Édipo  cuja necessidade de encontrar suas respostas, forçou-o a mergulhar no próprio íntimo, evitando o ofuscamento da luz natural. É o mesmo que podemos encontrar no mito de Tirésias, cuja que foi obrigado, à sua revelia, a adquirir a visão que transcende o tempo e o espaço.
Verificamos que, em última análise, o conto diz respeito ao "processo de individuação" os arquétipos envolvidos são representados por animais, como o Búfalo que lembra o Touro, é representado na  forma de Bisão, desde a Pré-história, nas pinturas das cavernas, usadas pelo Homo Sapiens, como trois Frere, Altamira, Fontechevade etc. E por toda História a mesma espécie aparece como símbolo da força e do poder criativo. 
Na Grécia é o presente de Posídon, na Ilha de Creta, que da origem ao Minotauro, graças à paixão terofílica de Pasifae, esposa de Minos. Na religião mitráica, ele representa a divindade que se sacrifica pelo bem do homem, e cujo sangue purifica. 
No Antigo Testamento fornece o ídolo que o povo hebreu passa a adorar, na ausência de Moisés, que subira ao Sinai para receber os Mandamentos divinos. No Cristianismo, o Boi, que é da mesma espécie do Touro, representa o evangelista Lucas.
Até recentemente, ele era enfrentado nas arenas, servindo de sparring para que o homem demonstrasse ser o mais poderoso do animais. 
Agora, mergulhe seus olhos neste conto e deixe sua imaginação lhe apontar qual lição específica ele traz para sua vida, e como pode modificar o seu destino. 



Lenda de Índios Norte-Americanos

Era uma vez um rato. Era um rato ocupado, buscando em toda parte... e olhando. Ele era ocupado como são todos os ratos, ocupado com coisas de ratos. Mas um dia, ele ouviu um som singular. Levantou a cabeça, esforçando-se por enxergar... e surpreendeu-se. Um dia correu até um rato seu conhecido e perguntou-lhe:
- Você está ouvindo um rugido em suas orelhas, meu irmão?
- Não, não. – Respondeu o outro rato sem tirar o seu nariz atarefado do solo. – Não ouço nada. Agora estou ocupado. Fale comigo depois.
Ele fez a outro rato a mesma pergunta e o rato olhou-o com estranheza. (continua)

Nenhum comentário:

Postar um comentário